O uso das redes sociais para o marketing digital em clínicas de fisioterapia

Marketing Digital em clínicas de fisioterapia em Brasília no Brasil

Desde sua criação, a Internet se transformou em um lugar comum para a maioria das pessoas. Segundo a União Internacional de Telecomunicações (UIT), que é uma agência da Organização das Nações Unidas, responsável por estudos e acompanhamento das telecomunicações, atualmente cerca de 3,9 Bilhões da população mundial tem acesso à internet, ou seja, 54,1% dos habitantes do planeta. Erick Schmidt, membro do conselho administrativo da Google, ousa dizer que até 2020 todos habitantes do globo vão ter algum tipo de acesso à Internet.

Em seu início, a internet se resumia às atividades universitárias e militares nos Estados Unidos, entre as décadas de 1980 e 1990. Porém, a partir do momento que isso se tornou uma ferramenta com abrangência mundial, todas as pessoas e empresas passaram a ser afetadas pela chamada “grande rede”.

Apesar da ideologia que muitos usuários carregam consigo de tornar a internet um ambiente extremamente democrático e liberal, como foi utopicamente concebida em seus primórdios, regulações tiveram que surgir para adequá-la aos costumes e economias dos diversos países do mundo.

A teia se estendeu e alcançou praticamente todos os aspectos da vida humana. Se você quer comprar um chapéu, a Internet contribui para isso. Caso queira vender seu carro, a grande rede é o ambiente certo. Um novo apartamento, vai lá. Encontrar amigos há muito não vistos, mais uma vez a Web te ajuda. Enfim, as possibilidades desta rede são infindáveis. Quase tudo que se pensar cabe na internet.

Que pese alguns desvios de conduta e contravenções existentes na internet, duas grandes ondas tomam conta de seu ambiente, a onda comercial e as redes de relacionamento, ou redes sociais. Em um documentário do canal History Channel, entitulado The 90”s Tech, fica bem clara a revolução que essa rede mundial de computadores proporcionou à humanidade e como seus aspectos econômicos e relacionais modificaram a vida moderna.

A par de tudo isso, um fenômeno surgido na internet que vem revolucionando a forma com que as pessoas se relacionam, são as redes de relacionamento, ou redes sociais. Na verdade, essas redes sempre existiram, conforme explica Cipriani (2014, p. 3), desde antes da rede de computadores, baseada nas relações humanas cotidianas. Porém, a virtualidade impulsionou sobremaneira as possibilidades dessas redes.

Como tudo que acontece na internet, a dinâmica é intensa e nem sempre sabemos onde as coisas vão dar. As redes sociais meio que replicaram os rumos da internet, nascendo com vocação para as relações interpessoais e dia após dia cresce o seu uso para as relações comerciais entre pessoas e empresas Busines to Consumer (B2C), entre empresas e empresas, a chamada Busines to Busines (B2B) e nas relações comerciais entre pessoas Consumer to
Consumer (C2C).

Boa parte das empresas atualmente, seja de fins lucrativos ou não, estão presentes nas redes sociais. As possibilidades de mostrar os produtos ou serviços dos diversos empreendimentos é muito sedutora. Logicamente, cada rede social tem sua linguagem própria e saber se apresentar corretamente em cada uma é fundamental. Nesse contexto a possibilidade de dialogar com os clientes é uma oportunidade crucial das mídias sociais.

No contexto comercial das redes, o marketing também evoluiu para um patamar digital, sendo chamado de marketing digital, ou seja, como comercializar, divulgar, apresentar, desenvolver um produto ou serviço, utilizando os meios digitais, tendo a internet como plataforma para isso (ADOLPHO, 2014, p. 240). A aplicação dos conceitos do marketing nas redes sociais, visando melhorar as estratégias comerciais, foi um caminho natural para planejar
as ações comerciais de uma empresa.

Assim, conforme apresenta o título deste artigo, fomos buscar na Clínica de Fisioterapia Reabilitação Total, sediada em Brasília, DF, Brasil, os exemplos que comprovam o uso das redes sociais para o marketing digital em uma empresa do seu tipo. Pesquisas bibliográficas e entrevistas com os integrantes da Reabilitação Total servirão de subsídio para explicitar e justificar o tema escolhido.

Apesar de pouco material disponível sobre o tema específico, o produto apresentado revelará que o uso das redes sociais para o marketing digital de clínicas de fisioterapia, não só é possível, como já vem sendo executado com sucesso em clínicas dessa área. Analisando outras clínicas, que também estão presentes nas redes sociais, podemos comprovar o uso de conceitos do marketing presente em suas publicações.

A condução do artigo será feita desde os conceitos mais amplos de marketing e específicos de marketing digital, às peculiaridades nas redes sociais. Até atingir uma presença considerável nas redes sociais, a Clínica de Fisioterapia Reabilitação Total (RT), passou por um processo interessante de aprendizado que incluiu todos os seus membros. A nova comunicação que se fez necessária com seus clientes foi uma das ações mais trabalhosas para a empresa.

Por fim, concluiremos que adotar um modelo atual de marketing em redes sociais é um processo que não acontece se não for feito com método, fundamentos teóricos e, acima de tudo, com um planejamento sólido, metódico e dimensionado para o tamanho da empresa, o que o torna factível.


Este artigo de conclusão de curso na Pós-graduação em Marketing Digital e Comércio Eletrônico, sob a orientação e coordenação de curso de Luciana Manfroi, foi elaborado pelo aluno Leonardo Araújo Colpo nas aulas de trabalho de conclusão de curso em julho de 2019 e poderá servir como base de consulta para quem deseja continuar a pesquisa sobre o tema.


O marketing digital e as redes sociais em clínica de fisioterapia

Para facilitar a compreensão do texto, faremos a divisão em tópicos que conduzirão o leitor aos rumos pretendidos deste artigo. Os tópicos criarão um ambiente mais didático e lógico, onde os aspectos principais do estudo serão ressaltados.

As Redes Sociais

As redes sociais existem há muito tempo e de forma não muito diferente do conceito digital atual. A troca de opiniões, discussões e compartilhamento de informações sempre foram feitas pelo homem desde tempos imemoriais, mas os meios digitais elevaram isso a um patamar sem fronteiras e precedentes na história da raça humana. Cipriani em Estratégias em Mídias Sociais, cita o seguinte:

Os Blogs, microblogs, como Twitter, redes sociais como Orkut
e Facebook, wiki, websites de compartilhamento de fotos e
vídeos e fóruns de discussão amplificaram a capacidade de
todas as pessoas para comunicar entre si e buscarem um pouco
mais longe e com grandes facilidades a resposta para usas
perguntas ou atendimento de suas necessidades individuais.
(CIPRIANI, 2014, p. 2).

Isto classifica bem esse pensamento de que as redes sempre existiram, mas com as possibilidades dos meios virtuais as coisas se amplificaram muito. Os números de usuários de redes sociais no Brasil são gigantescos, segundo a eMarketer, empresa especializada no estudo de dados do mundo digital, divulgou em um estudo de junho de 2016, que dos quase 80 milhões de usuários regulares de internet em nosso país, cerca de 78% acessam alguma redes social pelo menos uma vez por mês. Dos usuários que acessam redes sociais, cerca de 95% acessam o
Facebook, que é a mídia social mais acessada no mundo atualmente.

Alguns estudiosos das redes sociais ousam dizer que se você não está em alguma rede social hoje em dia, você não existe. Exagero? Talvez seja, mas reflete um comportamento cada vez mais recorrente nos internautas do mundo todo. Neste ponto cabe lembrar que o entendimento de rede social, daqui em diante, sempre se reportará às redes digitais como conhecemos hoje.

Desde a criação da ClassMate, a primeira rede social criada em 1995, várias outras foram surgindo e se alternaram como a maior em suas épocas. Mas, em todos os casos, o fenômeno da relação entre as pessoas sempre foi intensa e cada vez maior. Mas, com toda essa intensidade e frequência de participantes, logo as empresas viram nas redes sociais uma oportunidade de negócios irrefutável.

Classmates a primeira rede social

Os modelos vieram se alternando, porém a síntese sempre foi a mesma, relacionamento de grupos de pessoas de forma virtual. Por fazer parte do paradoxo da globalização, as mídias sociais aumentaram em muito a possibilidade de alcance de pessoas e empresas. Se antes alguém precisaria de várias mídias e meses de “panfletagem” para divulgar para centenas de pessoas seu negócio, com as redes sociais isso pode acontecer praticamente de forma instantânea.

As possibilidades e alcance das redes sociais são extremas e imprevisíveis. Saber quando e como uma publicação vai “viralizar” é muito difícil. Na verdade, existem técnicas e regras que podem ajudar a ganhar um grande alcance nas publicações, mas isso depende muito do público.

Fato é que as redes sociais abriram uma possibilidade importante e, até certo ponto, mais barata para qualquer um que quiser usar as redes sociais para divulgar seus projetos.

Marketing Digital

Philip Kotler define marketing da seguinte forma: “o processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam, através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros”. (KOTLER, 2000, p. 30).

Podemos afirmar que marketing digital é fazer o que a definição de Kotler ensina, porém, utilizando a internet e outros meios digitais para conseguir os resultados esperados. Essa modalidade de marketing veio para revolucionar a maneira como as empresas e pessoas pensam e comercializam seus serviços ou produtos.

Ao contrário do que muitos ainda pensam, a estrutura de marketing para uma empresa não é tão complexa como parece ser, mas exige planejamento para que as coisas aconteçam. Os fundamentos exigidos para organizar um empreendimento antes de lançá-lo no mercado, devem seguir método e ser muito bem e aplicados, caso contrário, cairá nas estatísticas de empresas que fecham as portas em menos de 5 anos, por não terem um planejamento de marketing.

O perfil do consumidor mudou após a extrema digitalização do mundo (ADOLPHO, 2014, p. 132) e saber atuar no mercado de uma forma atrativa e moderna traz o marketing digital como primeira opção para empreendedores que procuram divulgar seus produtos pela internet.

Logicamente, não basta contratar um gerente de marketing, fazer um plano de marketing e tudo acontecerá nos negócios. Existe um intenso estudo de mercado e aspectos que devem ser levados em conta para que o plano de marketing digital possa sair do papel e apresentar um negócio ao mundo. Veremos a seguir alguns conceitos importantes.

Marketing de Conteúdo

O perfil do consumidor muda a cada dia. Cercado de informações e muito atualizado, ele passou a ser mais exigente em relação as suas escolhas (REZ, 2016, p. 37). Como se isso não bastasse, a concorrência se intensificou, uma vez que o mundo digital possibilitou visibilidade a quase todos que se propõem a se expor na grande rede de forma intensa e democrática.

Este ambiente, extremamente frequentado e concorrido, fomentou o surgimento do conceito de marketing de conteúdo, que prega que você será mais interessante quanto maior for a qualidade do conteúdo que você apresente ao seu consumidor.

Conteúdo interessante não quer dizer fazer uma propaganda de alta qualidade de seu produto. Conteúdo de qualidade quer dizer aquilo que o público acha interessante e isso nem sempre está ligado ao seu produto.

Podemos citar como um exemplo positivo de marketing de conteúdo o que a empresa Friboi fez ao criar o site Academia da Carne. Neste site a empresa disponibiliza uma infinidade de recitas de carnes. Com vídeos ilustrando como fazer as receitas, ensina aos consumidores como fazer vários pratos. Como se isso não bastasse, ensinam sobre os tipos de corte de carne, além de outras coisas interessantes, tudo isso gratuitamente.

Mas qual a lógica disso? A questão é a síntese do marketing de conteúdo, pois quando você gera conteúdo de interesse do público, você faz com que ele associe sua imagem ao tipo de produto que comercializa, posicionamento é o nome correto. Conforme Kotler (2010), atualmente o público está cada vez mais ligado às empresas que tem algo a oferecer para a sociedade.

Os dois últimos aspectos apresentados até agora serão fundamentais para entender os rumos traçados pela Clínica de Fisioterapia Reabilitação Total, a fim de se posicionar na mente do consumidor através do marketing digital e das redes sociais.


Baixe o artigo completo com o resultado das análises do

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O MARKETING DIGITAL EM CLÍNICAS DE FISIOTERAPIA


Meu nome é Luciana Manfroi e eu sou consultora, palestrante, professora e escritora na área de Marketing Digital para empresas e profissionais liberais de Santa Catarina.


 

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s